Nogueira tem novo cruzeiro

Nogueira tem novo cruzeiro

COMPARTILHE

Com uma história sempre conturbada, o cruzeiro existente no início da Rua de Guindes, em Nogueira foi sempre alvo de comentários, paixões, vozes a favor e contra, ao longo de muitos anos. Recordam muitos que aquele não foi o cruzeiro original, já que no final dos anos 70, o antigo cruzeiro em pedra fora destruído, também por um acidente do qual resta ainda o pedestal junto à paragem de autocarro em frente. Tratava-se de um cruzeiro, todo em pedra, de feições simples que encimava aquela rua na altura ainda mais estreita e que muitos recordam ainda em terra. Foi então construído naquele tempo o cruzeiro que por cerca de 40 anos todos conhecemos. Construído em betão e revestido a mármore, com uma base em forma de triângulo que estava resguardado por alguns ferros e cadeados. Por diversas vezes, foram aqueles ferros abalroados por camiões, mas nunca até Abril deste ano em que um camião TIR, ao fazer uma manobra pela
esquerda, no sentido Lousada-Macieira, provocou a sua queda. Chamado ao local, o Presidente da Junta, tomou conta da ocorrência, tendo logo ali decidido que devido à impossibilidade de recuperar aquele cruzeiro que ficara totalmente destruído, deveria o mesmo ser removido a fim de se preparar em tempo útil e após alguma reflexão, a construção de um novo cruzeiro. O condutor do camião assumiu a responsabilidade pelo acidente, tendo acionado o seguro que no prazo de dois meses teve o seu processo concluído, com a companhia a assumir o pagamento de um novo cruzeiro, conforme orçamento apresentado pela Junta. De salientar que no período que mediou a queda do cruzeiro e a reposição de um novo, toda a freguesia se foi manifestando, de forma velada ou mesmo de forma emotiva. Desde os que estavam contra a sua construção no mesmo local àqueles que defendiam de forma acérrima a sua manutenção no início da Rua de Guindes, até alguns que
se manifestavam por não haver cruzeiro. As redes sociais foram inundadas com comentários e até houve lugar à colocação de um cruzeiro em madeira, neste intervalo, com cartazes com mensagens aguerridas. A expectativa era muita com uns a desconfiarem, outros a temerem, outros certamente a esperar que tudo corresse mal. O Presidente da Junta, utilizando as redes sociais, no mesmo dia da queda do cruzeiro afirmou “Quero assegurar a todos os Nogueirenses que logo que possível será encontrada uma solução do agrado de todos”. De facto, logo nesse dia foi contactado o proprietário do terreno confinante a fim de se chegar a um acordo para o alargamento da entrada e da Rua de Guindes, o que veio a acontecer com êxito como agora se pode verificar. Foi também feito pela Junta um estudo do tipo de cruzeiros mais comuns na região, tendo concluído pela encomenda a uma empresa da região, de um cruzeiro em granito chamado “cruzeiro padrão”. Por vontade e
total iniciativa da Junta, acrescentou-se no pedestal, o Brasão da freguesia de Nogueira esculpido em alto relevo que conferiu ao Brasão um referencial inquestionável de arte e qualidade. E como prometido, o brasão foi colocado nas vésperas da festa de Santa Cristina, tendo como ato solene a sua bênção, pelo Padre Mário, no decorrer da procissão no dia 6-8-2017, cuja data ficará para sempre assinalada como data inaugural, até porque foi essa a data inscrita no pedestal. Contornado por uma rotunda em pedra, e protegido por uma área de segurança em paralelo, é agora possível não só admirar melhor o cruzeiro, como também é possível qualquer camião contorná-lo sem perigo. Que se mantenha por muitos anos e seja para Nogueira e para todos os Nogueirenses um orgulho e um símbolo da sua identidade, assim espera o Presidente da Junta, Fausto Oliveira.